Conheça as vantagens e desvantagens do drywall antes de escolher sua parede



Quando você pensa em parede, certamente logo vem à mente uma superfície robusta, rígida e resistente, feita de tijolos ou blocos, assentados com massa de cimento, conhecida como alvenaria. No entanto, nos novos empreendimentos imobiliários é comum encontrar paredes de drywall, um sistema industrializado de paredes internas, composto por estrutura de aço galvanizado e chapas de gesso acartonado aparafusadas em ambos os lados. Bastante adotado no exterior, o sistema chegou há 20 anos ao Brasil, e vem mudando o conceito de paredes e o processo da construção civil, por ser limpo, rápido, econômico e racional.
Para identificar do que é feita a parede e como ela funciona, uma das alternativas é consultar o memorial descritivo, onde constam todos os sistemas usados na construção, e no manual do proprietário, que ensina como usá-los. Por força da lei, ambos devem ser entregues pelo incorporador ao consumidor. Outra maneira é bater na superfície. Mas não se impressione com o toc toc surdo e oco. Apesar de parecerem frágeis, essas chapas, que possuem os dois versos de cartão e o recheio de gesso aditivado, são resistentes. Isso, porque o pó de gesso nada mais é do que a rocha gypsita desidratada, e, em contato com a água, ele vira pedra de novo. Além disso, para áreas molhadas ou que sejam mais propensas ao fogo, há versões especiais.



O que é Drywall ?

Palavra drywall significa na sua íntegra, “parede seca”, que por sua vez representa a idéia de construção a seco, isto porque dispensa os métodos convencionais de alvenaria na construção, onde a sujeira e lamaceiro estão sempre presentes. Por se tratar de uma palavra composta, deve ser escrita normalmente sem qualquer separação e ou hífen, sendo assim escreva corretamente, drywall. 
O sistema de vedações em drywall se aplica normalmente no lado interno da obra, mas existe odrywall externo também, variando somente no tipo de estrutura, chapa e acabamento.
Existe um vídeo de “Introdução ao Drywall” que ilustra claramente como o sistema funciona, além de alguns alertas de como obter-se o melhor processo e produto fina

Paredes:
 
Sanduíche – A tecnologia das paredes em drywall são como um sanduíche, onde existe uma estrutura interna de aço galvanizado perfilado em “U”, envolvido por chapas de gesso acartonado aparafusados na estrutura, enrijecendo totalmente o produto final.
Estrutura - Uma montagem de paredes, onde são utilizados perfis dobrados em formato “U”, produzidos de chapas de aço galvanizado com uma espessura variada de 0,50mm para mais, dependendo da exigência de resistência mecânica da parede, pé direito e outras relevâncias como resistência ao fogo, umidade, vento, acústica, etc....









Guias e Montantes - Estes perfis dobrados em “U” são na sua maioria fabricados e utilizados nas dimensões de base como 48mm, 70mm ou 90mm, mas podendo variar para paredes especiais conforme mencionado acima.
Para a montagem das paredes em drywall existem dois tipos básicos de perfis “U”, guias e montantes. As guias, normalmente são instaladas na horizontal, onde uma é afixada na parte superior do pé-direito e a outra no piso, atuando assim como guia da estrutura, ou seja, servindo como ponto de encaixe dos montantes para assegurar alinhamento e prumo estruturais que por sua vez são normalmente instalados na vertical, encaixados dentro das guias e espaçados modularmente com o máximo de 60 cm entre os mesmos dependendo das relevâncias.
Instalações - Após a montagem da estrutura através do encaixe a afixações adequadas conforme todo o processo definido em procedimentos, vem o processo de instalações, ou seja, distribui-se e instala-se todo e qualquer tipo de instalação elétrica, hidráulicas, ramais, telefônica, reforços de madeira auto-clavada e tratada contra cupim, e outros, evitando que a parede tenha que ser aberta, como é de prática na alvenaria comum.
Chapeamento – Conforme mencionado no incido, o drywall é como um sanduíche, e por isso, depois de obter-se a estrutura finalizada com as devidas instalações, afixa-se com parafusos especiais as chapas de gesso acartonado sobre cada um dos dois lados da parede, considerando que normalmente as chapas são fabricadas com 1,20 mts de largura, até 3,00 mts de comprimento e 12,5 mm de espessura, gerando uma rigidez impressionante, além de uma alta qualidade aparente.
Acabamento – Finalmente a parte final, o acabamento, também chamado de tratamento de juntas consiste na aplicação de uma fita de papel com multi-camadas a ser aplicada nas juntas das chapas, eliminando toda e qualquer possibilidade de fissuração.
A fita deverá ser aplicada embebida em massa específica para tratamento de juntas do drywall, evitando descolamento da fita. 
Após a secagem do enfitamento deverão ser aplicadas pelo menos duas demãos adicionais de massa de acabamento sobre a fita, com desempenadeira ou espátulas largas e específicas, com o lixamento alternado entre demãos, suavizando e finalizando-se cada aplicação com o lixamento da superfície tratada.

E problemas de cobrimento adequado? Considerando que o processo de construção em drywall é rápido e eficiente, todos os passos anteriores de montagem estrutural, chapeamento e acabamento são semelhantes a uma linha de produção, que se treinados adequadamente irão prover total agilidade e qualidade na execução das paredes.



 Drywall: tendência chegou para ficar nos imóveis em Curitiba


Novidades para quem deseja valorizar o imóvel não faltam. Uma tendência que chegou dos Estados Unidos e está ganhando presença no Brasil é o drywall: opção prática e rápida para dividir ambientes e criar novos espaços. Investir nas paredes em drywall pode ser a chave para fechar bons negócios, em 2015.
Constituída por uma estrutura de aço galvanizado, com chapas de gesso específicas para esse tipo de sistema, as paredes drywall possuem uma fácil forma de montagem. Entretanto, precisam ser colocadas por bons profissionais, pois são estruturas finas e exigem cuidado na hora da instalação. O Drywall também pode criar dois ambientes em um dormitório espaçoso e a estrutura permite inserir espaço para prateleiras.

Quando for reformar o imóvel, não se preocupe: a montagem e desmontagem dessas paredes são práticas e rápidas. A mesma vantagem da rapidez faz diferença também na manutenção. Na hora de consertar um vazamento de água, o processo não dá dor de cabeça. Um profissional especializado executa esse tipo de serviço em apenas um dia, sem o tradicional quebra-quebra das paredes comuns de tijolos ou blocos.



Perguntas e respostas sobre Drywall 

  • Como instalar reforços internos em paredes já existentes?

O ideal é que a instalação de reforços internos em paredes drywall seja feita na fase de montagem. Porém, há casos em que uma parede na qual não se previa a fixação de uma carga mais pesada venha a apresentar essa exigência. Nesse caso, será necessário abrir uma “janela” na parede para a colocação do reforço, que sempre deve ser colocado e parafusado entre dois perfis estruturais verticais (montantes) vizinhos, para que a carga aplicada seja transmitida para o piso.

Dois cuidados: abertura e reforço

Abertura - para abrir a “janela” na parede, utiliza-se um serrote de ponta, e o pedaço recortado deve ser conservado, pois será utilizado no fechamento dessa abertura, após a colocação do reforço. Para isso, com dois pedaços auxiliares de perfil de aço galvanizado, o pedaço recortado é parafusado na parede e em seguida são tratadas as juntas em todo o seu perímetro. Deve-se utilizar massa específica para esse fim e não gesso, pois este, ao secar, pode apresentar trincas.

Reforços - podem ser de madeira maciça ou reconstituída com espessura mínima de 18 mm ou de aço galvanizado. São encontrados no mercado reforços de madeira nas medidas mais usuais de 400 x 200 mm e 600 x 200 mm, indicados para espaçamentos entre perfis de respectivamente 400 e 600 mm. Os reforços de aço galvanizado, que têm 0,95 mm de espessura, são produzidos com essas mesmas medidas. Mais recentemente, passaram a ser produzidos reforços de madeira maciça tratada em autoclave ou de compensado marítimo nas medidas de 400 x 600 mm, que servem para os dois espaçamentos (na horizontal, para 600 mm; e na vertical, para 400 mm).


  • Limpeza de paredes drywall é simples?

A limpeza de manchas em paredes drywall pode ser feita com os mesmos produtos utilizados para esse fim em paredes de alvenaria: basta borrifá-los no local sujo e passar um pano úmido em seguida. As paredes não devem ser lavadas. Jatos de água, eventualmente utilizados em paredes de alvenaria, podem causar danos a paredes drywall. Da mesma forma, não se deve utilizar equipamento de limpeza à base de jato de vapor.

  • Drywall apresenta desempenho acústico superior ao da alvenaria

Uma boa instalação, de acordo com as normas, é que garante esse diferencial.

Paredes e revestimentos de drywall apresentam, comprovadamente, desempenho acústico superior ao da alvenaria convencional, mesmo as paredes mais simples, com uma chapa drywall de cada lado, sem isolamento interno com lã mineral, têm desempenho ligeiramente superior ao de uma parede de meio tijolo. Já as paredes com duas chapas de cada lado e isolamento interno com lã mineral apresentam desempenho muito superior. A melhor prova da qualidade acústica desta tecnologia é o fato de que praticamente todas as salas de cinema multiplex instaladas no país nos últimos anos, que são operadas por experientes empresas multinacionais, utilizam paredes drywall.

Para garantir esse bom desempenho, é necessário que a instalação dos sistemas seja feita de acordo com as recomendações técnicas dos fabricantes. O construtor e também o consumidor devem verificar, em primeiro lugar, se nos contatos da estrutura de aço galvanizado com as lajes do piso e do teto e também com os pilares de concreto os perfis estão devidamente protegidos com fitas de absorção de vibrações. O uso dessas fitas é obrigatório, evitando o vazamento de som para os ambientes contíguos. Outro cuidado importante é verificar se no interior das paredes hidráulicas (de cozinhas, banheiros e áreas de serviço) foi utilizada lã mineral, que também é obrigatória para isolar o som da água que corre nas tubulações. Paredes que separam apartamentos e as que separam unidades habitacionais das áreas de circulação também exigem o uso de lã mineral. Em resumo, cada parede drywall é dimensionada de acordo com sua finalidade, determinando-se sua espessura, o número de chapas que receberá de cada lado, se terá ou não isolamento interno, etc.

  • Pintura em drywall exige cuidados diferenciados

A pintura de sistemas drywall deve ser sempre precedida da aplicação de um fundo preparador, pois a superfície de uma parede, um revestimento ou um forro com essa tecnologia, após o tratamento das juntas e dos pontos de aplicação dos parafusos, terá nas áreas tratadas baixa absorção, enquanto o restante da superfície apresentará absorção mais elevada.
Desse modo, o fundo visa a igualar o grau de absorção da tinta, possibilitando que, desde que utilizados produtos de primeira linha, duas demãos sejam suficientes para assegurar uma boa cobertura. Na hipótese de não se utilizar um fundo, a primeira demão de tinta desempenhará esse papel, o que acabará encarecendo o acabamento.
Para dar todos os esclarecimentos necessários sobre pintura e repintura de superfícies em drywall, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall está estudando o desenvolvimento, em parceria com a Abrafati -Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas, de um manual específico para esse fim, cuja publicação deve ocorrer ainda em 2009.


http://www.drywall.org.br/index.php


Espaço Gourmet
www.atuancedecore.com.br







Descrição Drywall

O sistema Drywall (parede seca) é constituído por uma mistura de gesso, água e aditivos revestidos dos dois lados por papel cartão do tipo kraft (é um tipo de papelão fino) fabricadas industrialmente mediante um processo de laminação (SABATTINI et al, 2005).

Processo de Fabricação


A gipsita é um minério extraído da natureza, que passa por um processo de moagem até se transformar em um pó fino, como um talco.

• O pó é submetido a altas temperaturas para que vire gesso - procedimento denominado calcinação. O gesso é a base de todo o processo de produção das placas de drywall.

• A primeira etapa da linha de produção é o estiramento da bobina de papel cartão. Este é o material que envolve a placa de drywall.

• No misturador, o gesso calcinado, ainda em pó, recebe aditivos e água, gerando uma pasta. A mistura é então lançada sobre o papel cartão, estirado na esteira. 

www.atuancedecore.com.br








Projeto e execução .

Foi feito apenas rebaixo lateral para instalação de spot em LED .

www.atuancedecore.com.br







Projeto de Interiores 
·  























Seguidores

Zopim